Mercado cultura do forte

01 de dez de 2015

Artesanato e Agronegócios – Economia Criativa e Solidária

Para valorizar o artesanato e os produtos locais e beneficiar a comunidade, mais de seis associações de artesanato, além de artistas e artesãos independentes de Salvador e região, participam do Mercado do Forte, gratuitamente, e comercializam seus produtos, durante o evento. Arte em cerâmica, vidro, palha, coco e tecidos se transformam em bolsas, roupas, quadros, bijuterias, enfeites para casa, luminárias, entre outros, apresentando o que há de mais genuíno na arte local, para os visitantes do festival. O Mercado Cultural do Forte conta com o apoio do Sebrae no intuito de fomentar cada vez mais a força do produto regional.

Este ano o Mercado ganha novos expositores como o Cesol e o movimento Slow Food, representados pela Rede Moinho, uma associação de comércio justo e solidário que reúne consumidores e produtos orgânicos, da agricultura familiar e da economia solidária. O Cesol traz na sua produção materiais de cunho artesanal e o Slow Food, produtos oriundos do agronegócio nacional. O agronegócio local também marca presença no Mercado do Forte, desde 2012, com o Projeto Floresta Sustentável, que contempla comunidades do Litoral Norte da Bahia, e tem como objetivo restaurar áreas degradadas de Mata Atlântica, fomentando atividades de geração de renda compatíveis com a conservação ambiental.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.25.25

Arte em prata, ouro, gemas e metais preciosos
Silvana começou a se dedicar à ourivesaria em 2005 , no mesmo ano, passou a fazer parte do catálogo de designers premiados pelo Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos. Desde então, vem participando de exposições e desfiles, e desenhando coleções para joalherias. Dedica-se à criação e ao desenvolvimento de cada peça, assim como à pesquisa de novas técnicas e materiais. Seu trabalho ultrapassa os limites do âmbito do designer e do artesão. Os detalhes são minuciosamente trabalhados à mão. Além de ouro, prata e gemas, ela usa rendas, madeiras, fibras, tecidos, etc. Aberta para o mundo e as suas manifestações, as coleções são influenciadas pela arte e cultura e inspiradas pelas formas da natureza.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.27.04

Arte em vidro
Maga Serrano – Entre flores, pássaros, muitos quadros e garrafas de vinho, surgiu a ideia de transformá-las em vasos e abajours, criando assim uma reciclagem das mesmas.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.28.07

Arte em Cerâmica
Xênia Pinheiro – Artista plástica e artesã, apaixonada por cores e pela estética pop e art folk. Seu trabalho mistura técnicas e muita criatividade em peças decorativas para diversos fins.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.29.02

Arte em Tecelagem
Ateliê Meire Cabral – Meire Cabral atua na área de moda e produção de moda há 20 anos. O trabalho artesanal na tecelagem se volta para o aperfeiçoamento de técnicas e experimentações de diferentes materiais, bem como para as diversas utilizações dos tecidos extraído dos nossos teares que vão de decorações e adornos para casa até acessórios para o corpo. O colorido marcante, os tons terrosos em contraposição com cores quentes, fibras naturais e materiais rústicos como o couro sempre presente em nossas criações, constroem uma linguagem de trabalho original que dialoga com a memória afetiva de seus clientes e prezam pelo conforto aliado a versatilidade de suas peças.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.30.07

Arte em palha customizada com tecidos africanos
Nice Costa- Nascida em Salvador-BA, costureira, artesã, designer de moda, em sua marca NICE COSTA (moda, estilo e arte), busca fazer um link entre moda e espiritualidade em suas produções, nas cores, tecidos e simbologia em sua ancestralidade. Dentre as técnicas desenvolvidas está a valorização do trabalho das trançadeiras através da customização de bocapio, (sacolas feitas de palha), mudando o conceito de sacola de feira para um estilo despojado. Mandalas, divindades e cestos de palha criados a partir de sousplat de palha de carnaúba, máscara e tecido africano. As estampas suas cores e desenhos a inspiram no processo criativo.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.31.09

Arte em Tecido
Gato Criativo/Katia Brochado – Sapatilhas confortáveis, em tecidos africanos e com couro de vestuário, organizadores de bolsas, carteiras, bonecas, colares em couro, pulseiras, flores de tecido. Pegadores de panela, luvas , aventais e outros utensílios de cozinha.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.31.50

Arte em couro e tecido

Ângela Câmara – Bolsas chapéus e acessórios feitos em couro e tecidos coloridos e bem-humorados, com modelagens e combinações inusitadas. São peças básicas e charmosas.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.32.29

Arte em madeira
Sergio Gallegos – Trabalha com materiais que se relacionam, madeira, ferro, pvc, pedras semi preciosas . Com o reaproveitamento faz uma releitura dessas peças coletadas na praia, na mata transformando- as em arte utilitária e decorativa.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.33.54

Arte em patchwork
Míriam Moreira – Moradora de Arembepe há 18 anos essa mineira baiana, vem juntando pedaços, compondo, decompondo, dando formas a partir de pequenos pedacinhos de pano que com temáticas africanas, conta um pouco da história da nossa cultura afro brasileira. São mosaicos de vinil reciclados, telas de composição em tecidos, almofadas, capas de agendas, lap top, flores, pimentinhas, móbiles, todos feitos com técnica de patchwork.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.34.42

Arte indígena
Indiara Pataxó – Artesã índia do povo Pataxó, moradora de Arembepe há 10 anos, faz colares, brincos e pulseiras com sementes, utensílios de cozinha, brinquedos de madeira, instrumentos, adereços de cabelo, cocás, todos feitos por ela e parentes de Coroa Vermelha em Porto Seguro.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.35.36

Arte da terra
Ignez Morbeck e José Virgílo – Há 8 anos a baiana Ignez e o mineiro José Virgílio se juntaram para criar e produzir trabalhos com madeira, cabaças, fibras naturais, compondo instrumentos musicais, luminárias, objetos decorativos e utilitários, pesquisadores e colecionadores de arte popular, resolveram trocar talentos e criaram o “Arte da Terra”. Atualmente, moram em Arembepe, onde tem o atelier.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.36.21

Arte em porcelana
Silvia Russo

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.37.38

Arte em mosaicos
Sabrina Gomes

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.38.35

Arte em Tecido
Afro.Alfonsa –  Seu trabalho baseia-se em demonstrar mediante a criação de roupas a miscigenação das culturas latinas. Alfonsa representa sua identidade como mulher latino-americana e Afro.alfonsa representa sua vivencia com a cultura afro-brasileira. A partir de então começa uma pesquisa focada na estamparia africana, acrescentando ao trabalho modelos que referenciam as diversas culturas latino-americanas. Afro.alfonsa propõe aos (as) usuários (as ) se identificarem com as peças, isto se faz possível pelo simbolismo presente nos desenhos dos tecidos e com a proposta de cada peça seja única, feita artesanalmente, com materiais cuidadosamente selecionados (100% naturais), confeccionando cada uma das peças com consciência e amor pra que sejam duráveis  e que além disso na maioria dos casos tenham uma dupla função de uso. Incentiva um consumo responsável e direcionado em comprar da mão de quem faz.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.39.50

Arte em Palha
Associações de Praia do Forte, Diogo, Estiva, Curralinho, Açuzinho e Sauípe

Projeto Floresta Sustentável
Artesanato em coco e mudas para reflorestamento

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.41.33O Projeto Floresta Sustentável uni o desenvolvimento econômico e o bem estar social, assegurando maior estabilidade ao empreendimento coletivo das comunidades tendo como um dos objetivos a comercialização de produtos da agrofloresta e do artesanato da Cooperativa Artesanal e Agroflorestal Amigos da Terra – CAFAT, fomentada pelo projeto, ofertando serviços associados de beneficiamento da cadeia produtiva, baseados nos princípios da sustentabilidade, contribuindo para a conservação dos recursos naturais, aliados a geração de emprego e renda que visam a melhoria da qualidade de vida da população.

Captura de Tela 2015-12-01 às 08.41.43

Artesanato
Utilização de elementos oriundos da floresta, em especial a casa do coco da piaçava. O material é retirado de forma sustentável, sem prejudicar a flora e dá origem a acessórios como anéis, colares, utilitários, porta-cartões, entre outros.

Agrofloresta
Fortalecer a comunidade local e preservar o meio ambiente através da produção e comercialização de mudas nativas, frutíferas, ornamentais e medicinais, mel, azeite de dendê,frutas diversas, doces, hortaliças, verduras e pimentas.

Rede Moinho
Associação de comércio justo e solidário que reúne consumidores e produtores orgânicos, da agricultura familiar e da economia solidaria, cujo objetivo é promover relações diretas e transparentes, evitando atravessadores e promovendo, desta forma, preços justo para quem produz e para quem consome. Acreditamos que o consumo é uma maneira de estabelecer novas relações com as pessoas e o ambiente, fortalecendo a construção de uma economia solidaria e justa.

Captura de Tela 2015-12-01 às 09.00.39

Os Centros Públicos de Economia Solidária (Cesol’s) são espaços multifuncionais públicos, de caráter comunitário, que se destinam a articular oportunidades de geração, fortalecimento e promoção do trabalho coletivo baseado na economia solidária. Consistem em estruturas criadas e mantidas por meio de parceria entre o poder público e a sociedade civil organizada, tendo a SENAES/MTE – Secretaria Nacional de Economia Solidária e a Rede Brasileira de Gestores Públicos da Economia Solidária seus principais difusores.

Captura de Tela 2015-12-01 às 09.02.28

Slow Food Salvador
Presente em mais de 150 países, associação internacional tem como missão a defesa da biodiversidade, a difusão de conhecimento e a proximidade entre consumidores e produtores.

A associação internacional é coordenada por um conselho e gerida por um comitê executivo, do qual Carlo Petrini é o atual presidente e o representante brasileiro é Georges Schynder. O Slow Food envolve milhões de pessoas entre cozinheiros, jovens, ativistas, agricultores, pescadores, especialistas e acadêmicos. A rede conta com mais de 100.000 associados, reunidos em 1500 convívios – grupos locais que realizam reuniões, organizam eventos e campanhas e articulam relações com os produtores próximos – sendo a espinha dorsal do movimento. Isso tudo é possível somente pelo incansável trabalho dos associados que, voluntariamente, se dispõem a usar seu tempo e energia para realizar os ideais do Slow Food.

Captura de Tela 2015-12-01 às 09.04.45

Comentários

MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA:

Tempero no Forte

PATROCÍNIO:

Fomento a Cultura Cielo Tio Sam Bebidas Fomento à cultura Ministério da Cultura

Hiper Ideal Tio Sam Bebidas

APOIO REALIZAÇÃO:

Sebrae Senac Prefeitura de Mata de Sao Joao Secretaria de Turismo

APOIO PRODUÇÃO:

Turisforte Tivoli Hotels & Resorts Nubia Sonja CM Venturoli Shimizu

APOIO DIVULGAÇÃO:

Conssecionaria Litoral Norte

APOIO:

Mesa ao Vivo Revista Prazeres da Mesa

APOIO INSTITUCIONAL

Central de negócios Abrasel

CURADORIA TÉCNICA E PRODUÇÃO GERAL

Tereza Paim 2D Markeitng Promocional
 





Edições Anteriores: 2013 | 2014

    Informações: 71 98122-5061 | contato@temperonoforte.com.br